Estações Central e Guará do Metrô-DF recebem a exposição Metamundus | Companhia do Metropolitano do Distrito Federal istanbul evden eve nakliyat firmaları nakliye şirketleri evden eve nakliyat - iddaa siteleri sexs hatti betbaba güvenilir bahis siteleri meritroyalbet grandpashabet bahis siteleri casino siteleri betwoon madridbet betivo holiganbet perabet tombala siteleri jeton cüzdan evden eve nakliyat blackjack siteleri slot siteleri sexs hattı bahsine bahsine güvenilir mi telefonda sexs bahis seo evden eve nakliyat ofis taşıma güvenilir bahis siteleri güvenilir bahis siteleri yeni bahis siteleri sexs hattı canlı bahis siteleri casino siteleri betebet uluslararası evden eve nakliyat istanbul eşya depolama

Estações Central e Guará do Metrô-DF recebem a exposição Metamundus

Estações Central e Guará do Metrô-DF recebem a exposição Metamundus
02 jun 2022

Exposição contará com 33 obras do artista goiano-brasiliense Lemuel Gandara e contará com dois momentos principais: um primeiro, que se estenderá até o dia 16 de junho, na Estação Central, e um segundo, a partir do dia 17 de junho, na Estação Guará

(Brasília-DF, 02/06/2022) – As estações Central e Guará, de hoje até 01 de julho de 2022, vão receber a exposição individual do artista goiano-brasiliense Lemuel Gandara, intitulada Metamundus. A proposta consiste em uma experiência que atravesse os espaços físicos em que as obras ficarão instaladas e também a arena do digital, onde os usuários do Metrô-DF vão poder interagir por meio do metaverso. Em decorrência do caráter itinerário intuído desde o princípio de todo o processo, a exposição contará com dois momentos principais: um primeiro, que se estenderá até o dia 16 de junho, realizado na Estação Central, e um segundo, a partir do dia 17 de junho, que se concentrará na Estação Guará.

Pelo caráter híbrido e pelo alcance internacional da exposição, posto que organizada tendo em vista ampla circulação no âmbito do metaverso, a palavra “metamundus”, de que se intitula o evento, também foi formulada a fim de se romper com certas barreiras linguísticas – que poderiam limitar a amplitude na divulgação pretendida pelos organizadores. Por meio do resgate ao étimo latino, intuiu-se expressão que dispense traduções a outras línguas, porquanto recupere em sua própria sonoridade uma das questões fulcrais do projeto artístico, a exploração do metaverso. A isso se deve também a escolha em realizar a exposição presencial nas estações do Metrô do Distrito Federal. Trata-se, afinal, de exposição sobre trânsitos humanos no pós-pandemia. Com isso, os deslocamentos coletivos são pensados como palco certeiro e dialógico às obras expostas.

A exposição contará com 33 obras do artista selecionadas pelo curador Augusto Niemar – poeta e professor de literatura da Universidade de Brasília. Com a rigorosa escolha das artes, buscou-se reunir quadros que evocassem aquela “civilidade de categorias binariamente opostas”, de que nos falou a antropóloga Janaína Ferreira Fernandes, a respeito da bidimensionalidade do projeto aqui enunciado. A ideia motriz da exposição consiste em uma apreciação dúbia das obras, pois, disponibilizadas nas estações do metrô, colocam-se a serviço de um portal para o universo labiríntico do metaverso, onde somos agraciados com novos modos de apreciação artística, viabilizados pelas distorções estéticas das artes ali compiladas.

Clique aqui e confira aqui o catálogo da Esposição Metamundus

Share

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.